Biblioteca. Centro Cultural Justiça Federal

 

Av. Rio Branco, 241 – 2° andar, Cinelândia
20040-009  Rio de Janeiro/RJ
Fones. (21) 3261-2563 (Coordenação); 3261-2582 (Sala de Leitura); 3261-2583 (Sala de Consulta/ Atendimento ao público); telefax (21) 3261-2581
biblioteca.ccjf@trf2.gov.br
www.ccjf.trf2.gov.br/instit/bibliot.htm

Horário de atendimento:
Ao público externo: de terça à sexta-feira de 12h às 17h.

Ao público interno: de segunda à sexta-feira de 11h às 19.

BREVE HISTÓRICO

O prédio do CCJF foi inaugurado em 1909, mas sua efetiva organização remonta a 1912, já a sala da biblioteca foi aberta apenas em 1933 para receber o acervo do Supremo Tribunal Federal, antes de sua transferência para Brasília com a mudança da capital em 1960. Após isto, a Justiça Federal de 1ª Instância funcionou no prédio até 1988. Depois der ficado um longo tempo interditado, entrou em reforma em 1995, e em 2001 foi reaberto como Centro Cultural Justiça Federal, sendo que a sua biblioteca só foi aberta ao público em março de 2004.

Com uma arquitetura eclética, suas estantes em ferro, exportados dos EUA, e estrutura vazada, lembrando um convés de um navio, são réplicas das estantes da Biblioteca da Marinha. Este tipo de estrutura permite uma boa circulação do ar propiciando, assim, a conservação e a preservação do acervo. A disposição das prateleiras faz com que os 80 m² da sala tenham capacidade para abrigar cerca de 30 mil volumes. Com a criação da Sala de Leitura, em 2007, tornou-se um centro de referência em conforto e tranqüilidade em pleno centro da Cidade, conjugado com acesso à informação corrente e de qualidade e um espaço livre para leitura.

MISSÃO

Proporcionar ao seu público usuário livre acesso a um acervo especializado em Artes e Cultura e a serviços facilitadores da democratização da informação, da leitura, do estudo e da pesquisa, contribuindo para o pleno exercício da cidadania. Guardar e disseminar a memória institucional da Justiça Federal da 2ª Região, de 1º e 2º graus, como também, a história do Poder Judiciário Federal como um todo.

VISÃO

Alcançar um padrão de excelência na disposição e disseminação de um acervo atualizado específico em Artes Visuais e Plásticas. Funcionar como um elo de ligação entre o Poder Judiciário e a sociedade, com a divulgação da memória da Justiça Federal através de um acervo histórico e artístico-cultural e da realização de eventos de cunho social-cultural que contribui para o alargamento da cidadania e do respeito às Instituições.

Acervo:
O acervo, de cerca de cinco mil volumes, é protegido por sistema antifurto, inclusive as multimídias. Com o diferencial de ser um acervo atualizado anualmente, é especializado em Artes Visuais e Plásticas, além de ser voltado para as diversas manifestações culturais e artísticas. É constituído por obras clássicas e modernas (nacionais e importadas) como: livros; folhetos; catálogos (artísticos e de exposições); obras de referência (dicionários, enciclopédias, bibliografias, guias etc.); periódicos e multimídias (audiovisuais, fotográficas e cartográficas). Mantém acervos de obras jurídicas raras e atualizadas (que foram lançadas no CCJF); de obras infanto-juvenis (inclusive gibis), e de livros-falados.

O acervo encontra-se disponível, também, na Internet em: http://www.ccjf.trf2.gov.br/instit/bibliot.htm ou www.ccjf.trf2.gov.br – Caminho: Atividades> Biblioteca > consulta ao acervo

Público:
Estudiosos e profissionais dos variados ramos artístico-culturais, principalmente das Artes Visuais e Plásticas; produtores culturais, pesquisadores, historiadores, educadores e arte-educadores, guias turísticos etc., servidores, desembargadores e juízes federais da Justiça Federal e o público em geral.

Normas de Funcionamento:

1-    Para acessar a Biblioteca é necessário que o usuário se identifique através da apresentação de documento de identidade (RG, etc.) para anotação no Livro de Presença.

2-    Após a identificação e se estiver portando bolsa, pastas, sacolas, mochilas e/ou material particular, o usuário deve guardar os seus pertences nos escaninhos situados à entrada antes de utilizar o espaço e os serviços. Deve guardar consigo a respectiva chave e recoloca-la na fechadura ao sair.

3-    É expressamente proibido deixar objetos pessoais nos escaninhos ao final do horário de atendimento. O usuário deve retira-lo, mesmo que vá retornar nos dias seguintes.

4-    Se o usuário for utilizar o espaço para leitura no seu material próprio, poderá levá-lo para a mesa (exceto para o interior da Sala de Consulta), mas os demais objetos citados acima deverão ser guardados nos escaninhos.

5-    O CCJF e a Biblioteca não se responsabilizam por nenhum objeto de valor guardado nos escaninhos.

6-    A consulta é feita através de terminais de computadores ou direto nas estantes.

7-    O usuário tem livre acesso às estantes, mas, ao final da consulta, não poderá repor os livros consultados nas mesmas, terá de deixá-los sobre a mesa.

8-    Só poderão ser levados para a mesa  até três obras por vez.

9-    É vedado o consumo de alimentos e de bebidas, inclusive água, ao consultar qualquer obra no interior da Sala de Consulta e na Sala de Leitura.

10-  É vedado fumar.

11-  Não é permitido o uso de celular, que deverá ficar no modo “vibrar-call”, e ser atendido fora dos espaços da Biblioteca.

12-  Não é permitida a utilização dos espaços da Biblioteca para o usuário dar ou receber aulas e realizar quaisquer trabalho particular.

13-  Reuniões de grupos de estudo só serão permitidas caso não incomodem os demais usuários com conversas em voz alta e burburinho.

14-  Não é eprmitido dormir ou ficar ocioso nos espaços da Biblioteca.

Serviços:

Acesso gratuito a Internet, segundo critérios pré-estabelecidos.

Acessibilidade: computadores estão adaptados para acesso a Internet por pessoas com deficiência visual.

Empréstimo: somente para o público interno (servidores, desembargadores e juízes de todos os Fóruns da Justiça Federal de 1º e 2º Grau), é vedado ao público externo. O empréstimo se dará, exclusivamente, para finalidades previstas na Lei n° 9.610/98 (Lei de Direitos Autorais).

Empréstimo entre bibliotecas: público interno, no caso de a Biblioteca do CCJF não possuir a obra desejada e o usuário a encontrar em outras bibliotecas ou centros de documentação cadastrados através de formulário e critérios específicos. Público externo somente através das bibliotecas ou centros de documentação cadastrados.

Reprografia: somente após análise da real necessidade da pesquisa e da impossibilidade de procedê-la em outro local, pois não temos copiadora, caso seja permitida, deverá ser deixado na Biblioteca um documento oficial (RG, CPF, carteira de motorista, etc.) o qual será devolvido quando da devolução do material retirado. Não é permitida a reprodução das multimídias. No caso das obras bibliográficas, somente cópia parcial, conforme a Lei nº 9.610/1998 – Lei de Direitos Autorais.

Serviço de Alerta: comunicação periódica, local ou on-line, das novas aquisições.

Mural Informativo: divulgação dos eventos do CCJF, além destes são divulgados eventos, atividades e serviços externos da área artística, cultural e educacional.

Eventos: são promovidos encontros, palestras e outras atividades artísticas, culturais e educacionais, com o fito de disseminar a programação cultural do CCJF e o acervo e serviços da Biblioteca. São promovidos, também, eventos especiais focados em questões sócio-culturais, com o fito de disseminar o conhecimento e fortalecer a cidadania.  Todos estes eventos e atividades são gratuitos.

Parceria: integra a Rede de Bibliotecas e Centros de Informação Especializados em Arte no Estado do Rio de Janeiro – REDARTE/RJ para intercâmbio de informações e conhecimento, além de promoção de eventos para atualização profissional.

Sala de Consulta

Com capacidade para quatorze pessoas; livre acesso ao acervo disponibilizado em estantes com dois pavimentos (inferior e superior); pesquisas orientadas e levantamentos bibliográficos manuais e/ou automatizados; equipamentos específicos para acesso ao material multimídia; a consulta ao acervo obras será permitida somente no interior do espaço da Sala de Consulta; as obras consultadas deverão ser deixadas sobre a mesa.

Sala de Leitura

Com capacidade para trinta pessoas, é destinada à leitura de jornais diários (O Globo, O Dia, O Estado de São Paulo, Folha de São Paulo, Jornal do Comércio), de revistas nacionais e estrangeiras especializadas em artes e cultura (Photo, Fotografe Melhor, Ètudes Photographiques, Cahiers du Cinemá, History of Photograpy, Bravo, Veja, Ventura, Conhecimento Prático: Literatura, Black and White, The New Yorquer). É permitido estudo em material particular e utilização de notebooks. Neste espaço existem quatro microcomputadores para acesso gratuito a Internet e aos eventos promovidos. A entrada ao interior da Sala de Leitura, o mobiliário e dois microcomputadores são acessíveis a pessoas com deficiência (como pessoas cegas ou com baixa visão, e pessoas cadeirantes ou com bengalas).