Biblioteca Paulo Santos. Paço Imperial. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

Biblioteca Paulo Santos. Paço Imperial. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.DSC07670 DSC07668

Praça XV de Novembro, 48
200100-000  Rio de Janeiro-RJ
Tel.  +55 21 – 2215-5615/5768

www.bps.pacoimperial.phlnet.com.br

www.biblioteca@pacoimperial.com.br

www.pacoimperial.com.br

 

Histórico:
A Biblioteca Paulo Santos foi inaugurada em 02 dezembro de 1993, tendo como origem o acervo bibliográfico doado pelo arquiteto Paulo Ferreira Santos à antiga Fundação Nacional Pró-Memória, em 1985. Paulo Santos foi um dos principais estudiosos da arquitetura luso-brasileira, criador e catedrático da disciplina “Arquitetura no Brasil”, em curso de graduação da faculdade de arquitetura no Brasil. Conselheiro do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional durante 25 anos, membro do IHGB, escreveu cerca de 20 livros, além de artigos especializados.

Paulo Santos atuou como arquiteto através de sua firma Pires & Santos, durante mais de 30 anos. Sua coleção de livros, periódicos, catálogos, teses e folhetos, embora variada quanto à temática, é, entretanto, extremamente precisa e preciosa no que se refere à arquitetura  e ao urbanismo. Boa parte das obras foi escrita em francês e inglês, além de uma pequena parte em espanhol, alemão e italiano. Até sua transferência para o prédio do Paço Imperial, a coleção permaneceu na residência de seu antigo dono, na Ilha do Governador/RJ.

TOMBAMENTO
O acervo da Biblioteca Paulo Santos foi tombado provisoriamente pelo INEPAC, em 30/12/2002, juntamente com outros 10 acervos bibliográficos da cidade do Rio de Janeiro. A medida tem por objetivo, no dizer do Diretor-Geral do INEPAC, Alexei Bueno, “mais do que o reconhecimento do valoroso trabalho desenvolvido por essas instituições, garantir a permanência desses acervos e bibliotecas no seu lugar de origem, onde foram produzidos e acumulados“.

Acervo:
A coleção é especializada em, arquitetura e urbanismo, artes plásticas, História do Brasil e do Rio de Janeiro, História de Portugal, História da arte  e Engenharia e Construção.

Dentro do assunto Arte encontramos:  Teoria da arte, Estética, Artes plásticas brasileiras – século XX, Artes plásticas brasileiras – história anterior ao século XX, Modernismo nas artes.

Quanto à Arquitetura podemos encontrar: História da arquitetura no Brasil e no mundo, Teoria, Tratadistas, estilos, Arquitetos contemporâneos, Urbanismo, Habitação.

Quanto a Rio de Janeiro: História, Logradouros, Monumentos, Fontes e chafarizes, Bairros, Usos e costumes, Urbanização.

Outros assuntos ainda se destacam: Patrimônio Histórico e Artístico Brasileiro, Design, Cimento Armado e História do Brasil.

Os principais arquitetos sobre os quais temos material bibliográfico são: Le Corbusier, Lucio Costa, O. Niemeyer, Frank Lloyod Wright, Y. M. Pei, A. E. Reidy, Vital Brazil, Sérgio Bernardes, Henrique Mindlin, Lina Bo Bardi, G. Warchavchik, Rino Levi, K. Tange, A. Aalto, C. R. Mackintosh, L. H. Sullivan, A. Gaudi, W. Gropius, P. Johnson, além de inúmeros outros, brasileiros e estrangeiros.
O acervo de obras raras é precioso, e nele se destacam:

  • Vitruvio – Les dix livre d’architecture – edição de 1946 e L’architecttura di Marco Vitruvio Pollione – edição de 1790
  • Sebastiano Serlio – Regole generali di architettura sopra le cinque maniere de gli edifici… – edição de 1540
  • E. E. Violett Le Duc – Entretiens sur l’architecture – edição de 1863 (3 vol.)
  • Louis Cloquet – Traité d’architecture – edição de 1898
  • J. B. de Vinhola – Regra das cinco ordens de architectura – edição de 1830
  • Juhn Ruskin – The seven lamps of architecture – edição de 1897
  • E. Barberot – Histoire des styles d’architecture – edição de 1891
  • Gonzaga Duque – A arte brasileira – edição de 1888
  • Manuel de Azevedo Forte – O engenheiro portuguez – edição de 1728-29
  • N. de Fer – Introduction a la fortification – edição de 1695
  • Luis Serrão Pimentel – Methodo lusitano de desenhar as fortificações – edição de 1680
  • Sieur de Bitainvieu – L’art universel des fortifications – edição de 1674
  • Leon Battista Alberti – L’architettura – edição de 1565
  • Andrea Palladio – I quattro libri dell’architettura (ed. de 1945, facsimile da edição de 1570)
  • Planta da cidade de Lisboa (1878).

A BPS foi inaugurada em 1993 e de lá para cá procurou-se enriquecer o acervo, principalmente no que se refere às suas principais linhas temáticas. Para isso concorrem as doações recebidas, como a enviada pela filha do arquiteto Henrique Mindlin (cerca de 250 livros) e outras, vindas através de pessoas e instituições, assim como de editoras e entidades culturais dos três poderes: municipal, estadual e federal. Por outro lado temos procurado adquirir – via compra – outros itens bibliográficos, com o objetivo de atualizar a coleção.

O acervo tombado  conta hoje com cerca de 9.500 livros,  obras de referência, catálogos e teses  assim como cerca de 4.600 títulos de periódicos, nacionais e estrangeiros, muitos dos quais abrangem o período áureo da arquitetura moderna. Entre os nacionais podemos destacar Acrópole, A casa, Módulo, Projeto, Arquitetura e Engenharia, Habitat, Kosmos. Entre os estrangeiros, Domus, Architecture d’aujourd’hui, Zodiac, The Architectural Record, The Architectural Review.

Foram indexados os periódicos Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Gávea, Eventual e Boletim do IPHAN, além de outros parcialmente indexados, com as revistas Módulo e Architectura no Brasil.

A biblioteca organiza  a Memória Técnica do Paço Imperial, base de dados que sistematiza as informações referentes às exposições aqui realizadas entre, folders, convites e recorte de jornais,  desde a sua inauguração como centro cultural, em 1985.
Existem também catálogos de exposições, cerca de 1.200, referentes a mais de 600 artistas plásticos e arquitetos brasileiros contemporâneos.